domingo, 19 de agosto de 2012

Ingredientes que realçam o sabor - parte V


Cominho (Cuminum cyminum L)


As sementes do cominho são pequenos grãos muito difundidos desde a Grécia antiga. Sua origem é oriental e, de lá espalhou-se pelo mundo. Hoje, pode ser encontrado nas culinárias do Índico, do Oriente, do Oriente Médio, do México, de Portugal e da Espanha.

Com aroma e sabor muito marcantes, você pode utilizar os grãos moídos ou inteiros no preparo de guisados  e grelhados de cordeiros, frango e peixe, entre outras especialidades regionais, como o curry, o chili, o cuscuz de sêmola e o chucrute. Os famosos chutneys também são temperados com Cominho.

Uma curiosidade: os indianos preparam uma bebida muito refrescante e popular, o Zeera Pani, combinando a erva com suco de tamarindo.

Dicas: 

- Aqueça as sementes de cominho antes de moer para enriquecer o sabor.
- Use a erva com moderação para não encobrir outros sabores de seu prato.

Funcho (Foeniculum Vulgare)

Mais conhecido como erva-doce, o funcho tem um perfume agradável e sabor que lembra o anis, levemente refrescante. Originário da bacia do Mediterrâneo, já fazia parte da mitologia grega e romana. Associado a Dionísio, deus do vinho e dos alimentos, foi através de um caule de funcho que o conhecimento dos deuses chegou aos homens.

Hoje, a erva - doce é um ingrediente importante na culinária francesa e italiana. Muito versátil, aproveita-se o bulbo, o caule e a semente, e pode ser consumida cru, cozida ou assada. A culinária mediterrânea, por exemplo, utiliza as sementes para aromatizar molhos e conservas vegetais, como o pepino e a cebola. Já o seu caule fica delicioso no preparo de saladas, sopas e assados.

Apesar de muito saborosa, a erva-doce é pouco nutritiva. Por outro lado, pode auxiliar no funcionamento do intestino e na digestão.

Fonte: Sadia

Nenhum comentário:

Postar um comentário