segunda-feira, 18 de junho de 2012

Incensos Naturais

Primeiramente é necessário que entendamos que certos vegetais empregados nos incensos são acumuladores, núcleos energéticos, que durante o seu crescimento absorvem energias astromagnéticas (etéro - físicas) tão vigorosas como as que compõem a aura humana.

Tecnicamente, quando utilizamos ervas odorantes ritualisticamente obedecendo a determinada disciplina mental ou concentração, atraímos a cooperação de Egrégoras afins. Ocorre no processo de queima do incenso, que todo potencial energético das substâncias que o compõem são liberados, passando a repercutir simultaneamente nos planos físico, astral e etérico; agindo na emotividade, sensibilizando e elevando a vibração psíquica do ser, despertando o seu potencial inconsciente. 

A queima de ervas tem efeito estimulante para o espírito, produz uma condição receptiva e inspirativa, torna o ambiente agradável estabelecendo um contato com o plano sutil. Excelente prática para dispor o campo mental às coisas superiores do espírito, eleva o nível mental e harmoniza o indivíduo consigo mesmo.

Recurso benéfico que modifica o teor energético e bio-magnético do ambiente fluídico, purificando-o. Este efeito se comprova pela desintegração de centros de convergência mórbidos, originários do pensamento e sentimento humano, desagregando miasmas, bacilos, vibrões e microorganismos psíquicos estagnados em ambientes enfermiços. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário